Bem Vindo!

AS INTERFACES DA PROFISSÃO DOCENTE: formação, trabalho, práticas, currículo e avaliação

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$38,00
OU

Descrição Rápida

Maria Auxiliadora de Resende Braga Marques & Alessandra David - orgs.


Este é um livro que traz um diálogo entre vários autores que procuram discutir as interfaces da profissão docente sobre diferentes perspectivas, entre elas a formação, o trabalho, as práticas, o currículo e a avaliação, campos em que as reformas advindas da reestruturação do Estado e das políticas públicas, a partir dos anos 1990, instalaram-se de forma mais contundente na área educacional.
Cada capítulo discorre sobre uma dessas temáticas, tendo em vista que, diante da complexidade das interfaces que permeiam a profissão docente, muitos são os desafios a serem conquistados. Dentro deste contexto, entender a educação num processo mais amplo é aclamar na defesa de uma educação justa e humana, para além dos requisitos centrados nos valores econômicos e nas determinações neoliberais, que se impuseram nas políticas educacionais do século XXI.



Esta edição recebeu apoio da CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior por meio do PROSUP – Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares.




 


Prefácio

"O mais difícil, mesmo, é a arte de desler"  - Mário Quintana

Tomo emprestado ao grande Quintana, esta frase cujo sentido representa algumas das dificuldades e dilemas tão presentes na vida de professores, na atualidade. Ler. Desler. Ler com o intuito de apreender; ler com o propósito de aprender. Desler pode significar a transcendência daquilo proposto pelo autor, reforçando, assim, os laços do aprender a ser crítico.
Estas singularidades, muitas vezes partilhadas por professores e seus alunos, permitem identificar diferentes percepções de mundo de forma a crescer profissionalmente, apreender no e com os pares e, por fim, SER na educação, na escola, no ensino.
A investigação, na atualidade, confirmando históricas intenções, tem prestado particular atenção para a formação e a prática profissional de professores. Várias hipóteses justificam essa preocupação, porém uma destas, inevitavelmente, une o valor da troca e o valor do uso do trabalho dos professores.
É de entendimento na área da educação que a valoração do trabalho dos professores emerge diretamente do valor atribuído à educação escolar, tornado imprescindível para a garantia de sucesso individual, coletivo e social das pessoas e das sociedades por estas constituídas.
Assim, são inúmeras as produções sobre a área, traduzidas em dissertações, teses, artigos, livros, enfatizando como objeto de estudo os professores, seus saberes, sua formação, expectativas, representações, dilemas, identidades.
O presente livro intitulado AS INTERFACES DA PROFISSÃO DOCENTE: Formação, Trabalho, Práticas, Currículo e Avaliação, organizado por Maria Auxiliadora de Resende Braga Marques e Alessandra David, destina-se, entre outras tarefas a uma reflexão crítica no sentido de buscar a transparência e a valorização docentes reveladas pelos resultados das pesquisas desenvolvidas por professores e seus alunos.
Trata-se de uma prática que, para além da exigência acadêmica de uma avaliação processual, confere aos alunos a responsabilidade de elaborar uma produção que atenda aos ditames da pesquisa científica, proporcionando-lhes uma experiência inovadora na arte e no ofício de escrever.
Os temas aqui relacionados são de capital importância para a área da Educação como tal a conhecemos atualmente. Não obstante as mudanças que vêm ocorrendo ao longo na sua História, temos consciência de que muito ainda falta para que, efetivamente, possamos considerar que estas representam benefícios a TODAS as pessoas, indiscriminadamente.
Formulações, retificações e inovações têm afetado, de maneira intensa e profunda, o seu conceito e, consequentemente, a forma de fazer intervenções educacionais.
Destaca-se, pois, que a discussão sobre os elementos envolvidos na constituição de uma educação e formação docente que contemplem a diversidade e a respeitem em suas peculiaridades, não se desvincula de políticas, práticas e culturas que redundam em um processo social mais amplo de aprender/apreender a diversidade, e com ela conviver.
Esta é a grande contribuição deste livro. Os capítulos, sequenciados em uma linha histórica, trazem assuntos candentes e não menos polêmicos notadamente quando se pautam por paradigmas expressos e ordenados por aporte legal, em detrimento às desejáveis práticas sociais espontâneas de respeito às singularidades. Nesse sentido,
devemos, pois, pensar o problema do ensino, considerando, por um lado os efeitos cada vez mais graves da compartimentação dos saberes e da incapacidade de articulá-los, uns aos outros; por outro lado, considerando que a aptidão para contextualizar e integrar é uma qualidade fundamental da mente humana, que precisa ser desenvolvida, e não atrofiada (MORIN, 2011, p.16)
Para que esta situação aconteça de forma satisfatória, ainda há muito por fazer, quer social, quer academicamente.
Este livro, de forma competente, cumpre tal propósito ao elencar temas originários de discussões e reflexões de profissionais e pesquisadores preocupados e envolvidos com a situação da educação de TODAS as pessoas: desde aquelas comuns chegando àquelas que, por condições específicas, encontram-se à margem das oportunidades sociais.
Neste complexo universo, os diferentes olhares dão ao leitor a oportunidade de conhecer as sutilezas que o permeiam. O que se expressa nessa obra é que a complexidade destas sutilezas não se converte em impeditivo de tentativas para obter o sucesso em ambientes pedagógicos, profissionais.
O resultado desta iniciativa certamente representa um importante e essencial marco para impulsionar posteriores estudos e publicações, além das mudanças que possam favorecer a qualidade de vida de TODAS as pessoas, indiscriminadamente.
Certamente, o livro cumprirá com competência a tarefa de renovação permanente da informação disponível, elemento fundamental para planejar e desenvolver ações que garantam a sustentabilidade dos sistemas sócio-educacionais, necessários a uma sociedade que, efetivamente, integre todas as pessoas em condição de equidade.

Que se frutifique rápida e saborosamente...


São Carlos, outubro de 2012

Profa. Dra. Fátima Elisabeth Denari


Referências:

Morin, E. A CABEÇA BEM-FEITA. Repensar a reforma, repensar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

Quintana, M. "Do Caderno H". Porto Alegre: Editora Globo, 1973.



===================================================

Apresentação

Este é um livro que traz um diálogo entre vários autores que procuram discutir as interfaces da profissão docente sobre diferentes perspectivas, entre elas a formação, o trabalho, as práticas, o currículo e a avaliação, campos em que as reformas advindas da reestruturação do Estado e das políticas públicas, a partir dos anos 1990, instalaram-se de forma mais contundente na área educacional.
Cada capítulo discorre sobre uma dessas temáticas, tendo em vista que, diante da complexidade das interfaces que permeiam a profissão docente, muitos são os desafios a serem conquistados. Dentro deste contexto, entender a educação num processo mais amplo é aclamar na defesa de uma educação justa e humana, para além dos requisitos centrados nos valores econômicos e nas determinações neoliberais, que se impuseram nas políticas educacionais do século XXI.
Portanto, abrir um espaço de reflexão crítica sobre a profissão docente nos parece pontual, no sentido de buscar a transparência e a valorização dessa profissão, em especial, voltar nossas atenções para as "interfaces" que congregam o trabalho, o desenvolvimento e a prática do professor. Isto implica trazer à tona os resultados de pesquisas desenvolvidas por profissionais da educação, que procuraram investigar as origens das determinações das políticas para a formação docente. Ao mesmo tempo, no âmago dessas investigações despontam críticas e reflexões que contribuem para novas perspectivas e possibilidades para se pensar essa profissão, entre tantas complexidades que fazem parte do cotidiano do trabalho do professor.
Sendo assim, a organização desta coletânea privilegia, num primeiro momento, os estudos pertencentes às macropolíticas, e aborda como as mudanças operadas nessa instância são constituídas e como influenciam o trabalho do professor, primeiramente no Ensino Fundamental II e depois, no Ensino Superior. Num segundo momento, as interfaces se assentam sobre os trabalhos que, partindo das macropolíticas, chegam às micropolíticas, ou seja, ao cotidiano da escola, revelando as contradições entre sua consecução e sua implantação na dinâmica escolar. Num terceiro momento, a interface acontece entre estudos que, para além das macro e das micropolíticas, trazem sugestões para se repensar a prática docente sobre três perspectivas: a primeira, sobre a importância da pesquisa colaborativa entre os professores, a segunda, narrando uma experiência de leitura para alunos cegos, e a terceira, utilizando recursos das imagens, direciona novos olhares sobre a Educação.
Faz-se mister destacar que quatro capítulos contemplam os trabalhos dos bolsistas PROSUP/CAPES entre os anos de 2010 e 2012, do Programa de Mestrado em Educação do Centro Universitário Moura Lacerda. Esses trabalhos incorporam uma parte da dissertação que defenderam nesse período, como forma de socializar os conhecimentos obtidos com o auxílio do importante incentivo financeiro que receberam para desenvolver suas respectivas pesquisas, em que puderam dar um duplo sentido à sua formação, ao se unirem à experiência de pesquisadores e investigadores da prática docente.
Igualmente, vale a pena ressaltar que a publicação deste livro prestigia o trabalho desses discentes e reconhece a importância dessa modalidade de concessão de bolsas de estudos da CAPES, que permite ao aluno de pós-graduação continuar exercendo a docência concomitante à vigência da bolsa, o que contribui para a qualificação de novos pesquisadores, para docentes da educação básica e do ensino superior atuarem com consciência crítica e reflexiva de suas próprias práticas.
Paralelamente a esses estudos, esta coletânea agrupa trabalhos de professores do Programa de Mestrado em Educação do Centro Universitário Moura Lacerda e de duas outras Instituições de Ensino Superior do estado de São Paulo, UNESP-Campus de Bauru e UNICAMP. Os capítulos estão assim elencados:
A avaliação determinando o currículo: uma análise dos Cadernos do Professor e dos Cadernos do Gestor da Secretaria da Educação de São Paulo contempla uma parte da dissertação intitulada "Os caminhos da avaliação educacional: das orientações internacionais à proposta de estado "São Paulo faz escola" (1990-2009)" e retrata como a avaliação se tornou elemento protagonista das políticas educacionais paulistas, especialmente a partir de 2007, com a Proposta Curricular que, em 2010, foi alçada a Currículo Oficial do estado de São Paulo. Sua implantação foi realizada por vários instrumentos, entre eles os Cadernos do Professor, nos quais são apontadas orientações para a gestão da sala de aula e para a avaliação, bem como sugestões de métodos e estratégias de trabalho, e os Cadernos do Gestor, que versam sobre a avaliação e o projeto pedagógico. Estes documentos mostram a retirada da autonomia dos professores e dos gestores em áreas consideradas inerentes ao trabalho docente, como a construção do currículo, a gestão democrática e a avaliação.
A Formação Docente: um olhar sobre a dimensão ética é parte da dissertação de mestrado defendida sob o título: "A complexidade da formação docente: a ética da identidade humana e seu sentido na educação". O presente texto traz como objetivo elucidar a formação docente em sua dimensão ética, tendo como referência os fundamentos filosóficos necessários para apreender as concepções da ética e colocá-la na dimensão da formação. Em se tratando da formação, hoje impregnada pela razão técnico-instrumental e reforçada pelas exigências políticas e econômicas, tem moldado as atividades da docência, reduzido os valores dos quais a universidade deveria se apropriar, diminuindo as possibilidades de uma formação crítica e humanista necessária para o enfrentamento dos problemas sociais e ambientais que assolam a humanidade e comprometem a existência humana. Por isso, retomar esses valores torna-se um dos muitos desafios que a universidade deve enfrentar, e isso somente será possível se houver uma valorização da formação, entendendo o professor-pesquisador como agente da transformação social, humana e ética.
A intensificação no trabalho docente: repercussões no cotidiano da sala de aula tem como objetivo buscar indícios do processo de intensificação no trabalho docente dos professores secundários, numa perspectiva interna ao seu cotidiano de trabalho. Foram feitas entrevistas intensivas com 10 professores de diferentes disciplinas, que trabalham em escolas públicas paulistas, com 15 a 25 anos de experiência docente. Os resultados mostram que o processo de intensificação se concretiza por meio da imposição e sobrecarga de atividades e tarefas, da presença de mecanismos de cobrança e pressão por certos resultados, dos baixos salários e da perda do poder aquisitivo, pela falta de tempo para investir no próprio trabalho e pelo isolamento do trabalho docente na escola. Contudo, apesar de estarem vivendo um processo de intensificação e se sentindo desmotivados e angustiados, os resultados apontam que os professores gostam do que fazem e acreditam que realizam um trabalho de grande importância para a sociedade, e por isso permanecem na profissão.
As Práticas e as estratégias de trabalho no cotidiano dos coordenadores pedagógicos no Estado de São Paulo deriva de uma pesquisa empírica de base qualitativa, que apresenta alguns resultados obtidos a partir de entrevistas e observações realizadas com três professores coordenadores pedagógicos da rede estadual paulista, além dos dados resultantes de análise documental. A pesquisa possibilitou um conhecimento mais amplo acerca do trabalho na função, permitindo identificar como os professores coordenadores investigados se apropriavam das determinações oficiais e como reagiam a elas, estabelecendo diferentes práticas e estratégias cotidianas de enfrentamento e resistência às medidas reformistas.
As articulações entre grupo de pesquisa colaborativa e as didáticas específicas do curso de Pedagogia: as dinâmicas da natureza em questão trata de questões curriculares no contexto da formação de professores, no curso de Pedagogia. Descreve diálogo entre grupo de pesquisa colaborativa e a construção de programas das disciplinas do curso de Pedagogia: "Conteúdo e Metodologia do ensino de Ciências e Conteúdo e Metodologia do ensino de História e Geografia". Analisa inovações curriculares voltadas para o estudo da natureza, apoiadas nos princípios metodológicos desenvolvidos no referido grupo de pesquisa, por meio de aula de campo e estudo do local. A pesquisa é qualitativa, uma análise documental de relatórios de alunos que participaram das aulas de campo. Pode-se concluir que os alunos das referidas disciplinas do curso de Pedagogia exibem uma compreensão de aspectos sistêmicos da natureza, reconhecendo a interferência do Homem na mesma, o que evidencia a influência do grupo de pesquisa na construção de programas no curso de Pedagogia, ou seja, uma articulação entre a formação continuada e inicial de professores.
A leitura e o recontar de fábulas para o aluno cego: um desafio para a prática docente agrega a dissertação "O recontar de fábulas e o aluno cego" e procurou investigar o recontar da leitura do gênero textual fábula, por uma aluna cega do Ensino Fundamental II. As fábulas foram divididas em unidades de informação pela pesquisadora. A estudante leu 10 fábulas em Braille e as recontou em português oral, totalizando 10 sessões para leitura e recontes. O recontar foi gravado em áudio e transcrito. Após a leitura das transcrições, no texto da aluna foram identificadas as unidades de informação, de maneira a permitir uma análise qualitativa do recontar, ou seja, de sua compreensão. O referencial teórico baseou-se nos estudos de Vigotsky, Bakhtin, Perroni e Orlandi. Os resultados mostraram que há compreensão do que é lido e a sequência da narrativa é reconhecida e recontada, embora a moral, na maioria dos recontes, não tenha sido considerada como um elemento da fábula, pois não foi mencionada. Algumas expressões consideradas dependentes das imagens visuais e pouco usuais foram omitidas nos recontes. Concluiu-se que esse é um estudo que pode contribuir para professores que procuram investigar como se dá o desenvolvimento da leitura em alunos cegos e como prepará-los para a inserção em uma sociedade leitora
Prática docente apoiada em diferentes materiais didáticos e suas relações com o Projeto Político Pedagógico é parte da dissertação "O conteúdo do projeto político pedagógico e suas implicações na prática do professor: um estudo com o uso de materiais didáticos diferentes no ensino fundamental" e traz uma discussão sobre a prática docente na escola, buscando compreender as relações do professor com o projeto político-pedagógico, as metodologias de ensino, bem como as estratégias utilizadas em sala de aula entendidas como elementos importantes para a constituição do sujeito. A reflexão sobre a prática do professor na perspectiva da sociedade pós-moderna retrata uma formação calcada em estimuladores da competitividade entre os sujeitos escolares, perdendo, por vezes, a afecção de uma ação referenciada na aprendizagem como processo para atuar apenas na valorização do futuro profissional.
Efêmeras e mutantes imagens: implicações para a educação problematiza a presença das imagens na contemporaneidade, discutindo seu papel, seus efeitos, seus sentidos e significados, suas ambiguidades e implicações para o campo da educação. Ao circular por diferentes cenários, as imagens disseminam discursos e estimulam fantasias, desejos, informações, maneiras de ser e estar no mundo, subjetividades e sensibilidades. Nas subjetividades do olhar fluem nossas vivências, novos encontros em que nosso corpo, com todos os sentidos, constrói novos significados. Assim, as imagens podem ser, para a educação, uma fonte de conhecimento sensível, talvez até mais verdadeira e real que a própria "realidade" que se diz estudar na escola. Cabe-nos indagar acerca dos efeitos sociais e culturais desses artefatos na vida, na sociedade, que podem alterar nossas experiências, como se convivêssemos em mundos paralelos, e em que as realidades se misturam e nos confundem.
Gostaríamos de desejar que a leitura deste livro enseje novas reflexões e debates sobre as interfaces da formação, do trabalho, das práticas, do currículo e da avaliação aqui desenvolvidas, de modo que essas temáticas possam ser mais bem trabalhadas e usufruídas por todos aqueles que fazem parte da educação escolar e a vivenciam. Para finalizar, salientamos que as ideias, os referenciais e as propostas discutidas em cada capítulo são de propriedade de seus autores.




 



capa

Mais Visualizações

Detalhes

SUMÁRIO

  • Prefácio Fátima Elisabeth Denari
  • Apresentação 
  • 1. A avaliação determinando o currículo: uma análise dos Cadernos do Professor e dos Cadernos do Gestor da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Valéria Aparecida de Souza Siqueira Alessandra David
  • 2. A formação docente: um olhar sobre a dimensão ética Marcelo Pereira de Andrade e Maria Auxiliadora de Resende Braga Marques
  • 3. A intensificação no trabalho docente: repercussões no cotidiano da sala de aula Gisela do Carmo Lourencetti
  • 4. As práticas e as estratégias de trabalho no cotidiano dos coordenadores pedagógicos no estado de São Paulo Maria José da Silva Fernandes
  • 5. As articulações entre grupo de pesquisa colaborativa e as didáticas específicas no curso de Pedagogia: as dinâmicas da natureza em questão Natalina Aparecida Laguna Sicca e Silvia Aparecida de Sousa Fernandes
  • 6. A leitura e o recontar de fábulas para o aluno cego: um desafio para a prática docente Vanessa Cristina de Araújo Silva Matos e Tárcia Regina da Silveira Dias
  • 7. Prática docente apoiada em diferentes materiais didáticos e suas relações com o projeto político pedagógico Érika Paína Queiroz Lopes e Maria de Fátima da Silva Costa Garcia Mattos
  • 8. Efêmeras e mutantes imagens: implicações para a educação Maria Helena Salgado Bagnato, Maria Thereza Alexandre e Tânia Seneme do Canto
  • Sobre os Autores

 

Informações Adicionais

Autor (es) / Organizador (es) Maria Auxiliadora de Resende Braga Marques & Alessandra David - orgs.
Editora (s) Junqueira&Marin Editores
ISBN 978-85-8203-019-6
Área (s) / Assunto (s) Formação de Professores; Didática; Currículo; Avaliação.
Edição / Ano 1ª / 2012
Nº de Páginas 208
Acabamento / Formato brochura - costurado e colado / 14cm x 21cm

Tags do Produto

Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.