Bem Vindo!

PESQUISA COM PROFESSORES NO INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$38,00
OU

Descrição Rápida

Alda Junqueira Marin, Luciana Maria Giovanni & Maria Regina Guarnieri - orgs.


Os trabalhos desta coletânea, situados na confluência de questões sobre investigação, formação e inovação advogam a ideia de que relacionamentos colaborativos entre universidades e escolas de ensino básico representam alternativa metodológica privilegiada, tanto para a investigação, quanto para a atuação sobre o desenvolvimento profissional de professores e suas condições de trabalho. Ao gerarem oportunidades de reflexões no interior de ambas as instituições envolvidas, tais projetos permitem, especialmente, que aprendamos mais sobre formas alternativas de iniciar e manter mudanças educacionais. Pautadas em resultados de pesquisas realizadas nos últimos 20 anos, as autoras apresentam reflexões orientadoras para projetos dessa natureza, destacando as possibilidades que oferecem e apontando seus principais obstáculos e limites. 

Esta edição contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP.


 


 






 


Apresentação

Dia 27 de março de 1996, uma quarta-feira à tarde. Em dois carros percorremos os quase dez quilômetros que separam o "bairro do Cecap" do centro da cidade. Íamos a duas escolas indicadas pela então denominada "Delegacia" de Ensino como escolas de periferia, numa região em que a violência não era grande e o tecido social não era tão deteriorado. Tratava-se de um bairro com casas populares cujo início foi padronizado. 
Ao longo do caminho fomos percebendo como era distante essa região, como de fato constituía o que na região se costuma denominar "franja" da cidade e passamos a comentar esse fato.
Chegamos à primeira escola de ensino fundamental I, que atendia apenas as crianças de 1ª a 4ª série. Aí fizemos os primeiros contatos com a direção e tivemos as nossas primeiras impressões sobre a escola. Combinamos um encontro com os professores para as explicações iniciais.
Encaminhamo-nos, então, para a segunda escola, localizada no mesmo bairro e voltada para o atendimento de adolescentes no segundo segmento do ensino fundamental: 5ª a 8ª série. Igual procedimento: contatos com a direção e posterior encontro com um número maior de docentes, pois alguns já estavam na sala de professores e ouviram as explicações iniciais.
Desde esse dia foram quatro anos de idas e vindas, descobrindo que não se tratava apenas de um bairro, mas uma região, com diversos caminhos a serem descobertos para chegar e para sair; conhecendo crianças, jovens, professores, serventes, merendeiras, secretários, diretores, coordenadores, vigias e zeladores e algumas famílias. Conhecendo a escola e a comunidade.
Desde o início de 1996, portanto, o enorme grupo formado por professores pesquisadores, estagiários da universidade (UNESP) e professores de duas escolas públicas de ensino fundamental dedicaram-se a esse projeto de investigação e ação colaborativas.
A intenção inicial, e de grande amplitude era a de promover e investigar o desenvolvimento profissional dos professores e, por meio dele, buscar algumas transformações nas escolas dessa região, que atendem população de baixa renda.
A estrutura geral do projeto para atingir essas grandes finalidades previa quatro grandes fases, não lineares, mas com certa predominância de cada uma delas ao longo do tempo. Assim é que, no início de 1996 desencadeou-se a fase exploratória entre dois grupos estranhos entre si: o grupo "da rede" ou das escolas de ensino fundamental I e II e o grupo da universidade. Decorrida tal fase em sua essência, o projeto previa, e de fato realizou, a fase diagnóstica, predominantemente no final de 1996 e início de 1997. A partir de então iniciamos a fase de problematização das informações sobre a escola e sobre as práticas dos professores para em seguida nos dedicarmos à fase de elaboração do projeto pedagógico e sua implementação.
Como se depreende da leitura desses primeiros parágrafos, esse foi um projeto ambicioso e complexo. Ambicioso pelos inúmeros objetivos estabelecidos e pelas precárias garantias de sua consecução. Complexo por essas mesmas razões, acrescidas pelo longo tempo de execução e pelo fato de serem duas escolas; complexo também pelo número e diversidade de professores do ensino fundamental envolvidos, assim como pelo número e diversidade de pesquisadores e bolsistas participantes.
A complexidade é maior, ainda, quando se pensa na estruturação da temática proposta e nas ocorrências desses quatro anos na rede pública paulista. De fato o nosso projeto inseriu-se numa temática articuladora de três subtemas situando-se na confluência de questões sobre investigação, formação e inovação, com questões muito presentes no campo da pesquisa educacional nos últimos anos no Brasil e no exterior.
Tínhamos intenções de atuar com cada um desses temas. As ocorrências de mudanças da Secretaria da Educação, no entanto, ampliaram muito algumas parcelas deles, oportunizando produção diversificada, em parte já divulgada. Neste livro estão alguns capítulos resultantes do trabalho de pesquisadoras que se incumbiram do desenvolvimento do projeto na escola que atendia as séries iniciais do ensino fundamental I. Alguns textos são inéditos e outros foram apenas apresentados em eventos, mas não publicados. 
No que tange ao subtema investigação, às questões e objetivos de pesquisa e de ação inicialmente propostos somaram-se, durante esses anos, as questões relativas ao próprio processo de investigação e seus fundamentos. Assim é que temos, neste livro, algumas reflexões específicas sobre a investigação-ação colaborativa. Esses capítulos compõem a primeira parte.
Composta de seis capítulos, a primeira parte aborda aspectos de fundamentos dessa modalidade de pesquisa, sua interface com o subtema formação e análise desses fundamentos e do desenrolar da pesquisa com professores apontando ganhos e dificuldades.
No primeiro capítulo Luciana Maria Giovanni discorre sobre os desafios postos para professores das escolas regulares e pesquisadores da universidade, analisando o que cabe a cada parceiro nesse tipo de pesquisa, com destaque às relações dos participantes com o processo de pesquisa e com o conhecimento, em face dos objetivos de pesquisa e de ação que orientam todo o processo.
O segundo capítulo também trata do processo de pesquisa, porém Alda Junqueira Marin e Maria Regina Guarnieri estabelecem cotejo entre essa modalidade de pesquisa, realizada no interior da escola e outras anteriores, realizadas pelo grupo de pesquisa, com professores, porém não centradas na escola, isto é, realizadas fora da escola, na universidade ou em locais urbanos combinados, reunindo professores de diferentes escolas. Apesar de possuírem princípios e diretrizes similares, o resultado das dinâmicas e a obtenção de dados são bem diversos.
Os três capítulos subsequentes abordam a relação entre os subtemas investigação e formação dos professores, ou seja, focalizam a formação e a investigação, buscando teorizar sobre situações e condições formativas e suas relações com a obtenção de dados.
Luciana Maria Giovanni explora ideias sobre o potencial didático-formador vivenciado por professores e pesquisadores nas situações geradas pela pesquisa para o debate de questões e necessidades do dia a dia das escolas. Maria Regina Guarnieri aborda a contribuição da técnica de "coaching" na pesquisa e na formação de professores enfatizando o caráter formador dos diálogos que emergem entre professores em exercício e o "coach" pesquisador, ao examinarem, mutuamente, situações de ensino visando aperfeiçoá-las, contribuindo para o desenvolvimento profissional docente e gerando novos conhecimentos para a pesquisa sobre o ensino. Dirce Charara Monteiro, por sua vez, aponta o movimento de constituição de dados a partir das estratégias formativas presentes na pesquisa que conduzem à reflexão e troca de experiências entre professores sobre suas próprias práticas, salientando os aspectos bem sucedidos e procurando, em conjunto com os professores, alternativas para as práticas consideradas insatisfatórias. Finalmente, o último capítulo dessa primeira parte do livro está voltado à reflexão sobre a atividade de pesquisar nessa modalidade, que resulta de muitos momentos analíticos e críticos vivenciados pela equipe ao longo dos anos em relação à necessidade de se pensar sobre o processo de gerar dados nos diferentes investimentos em pesquisa, sobretudo quando em contato com sujeitos abordados para essa finalidade.
A segunda parte está constituída de sete capítulos. Eles podem ser agrupados em três eixos. No primeiro eixo são três capítulos, cuja natureza analítica focaliza aspectos da realidade escolar vivenciada pela escola. O segundo eixo, composto pelo quarto e quinto capítulos, está voltado para o relato de etapas da construção do projeto político pedagógico da escola, definido como a estratégia fundamental para o desenvolvimento profissional dos professores e mudanças na escola. Já o terceiro eixo, voltado para os resultados obtidos, reúne o sexto e sétimo capítulos que analisam, respectivamente, as mudanças no trabalho dos professores das séries iniciais e no trabalho dos professores da universidade. Vejamos.
O primeiro capítulo contém análises realizadas por Alda Junqueira Marin, Luciana Maria Giovanni, Maria das Mercês Ferreira Sampaio e Maria Regina Guarnieri. As autoras descrevem e analisam diversos aspectos da vida interna das escolas e as necessidades que os professores possuíam – e possuem – de balizas para sua atuação, balizas que se desfizeram com a implantação da chamada organização escolar por ciclos de formação. No segundo capítulo Alda Junqueira Marin e Maria Iolanda Monteiro sintetizam dados de diversas situações com manifestações de professoras sobre o que elas consideram condições favoráveis e não favoráveis ao sucesso escolar dos alunos. No terceiro capítulo, Alda Junqueira Marin encerra o primeiro eixo, focalizando situações externas à sala de aula, em que se flagram interações com condutas em que há ausência de decoro e respeito da direção, com provocação de condutas de submissão, vergonha e medo por parte das professoras.
O segundo eixo é composto pelos capítulos quatro e cinco. Alda Junqueira Marin, Luciana Maria Giovanni e Maria Regina Guarnieri relatam, no quarto capítulo, manifestações de professoras sobre escola, planejamento e projeto político-pedagógico – palavras-chave desencadeadoras de reflexão, analisadas com vistas à reorganização curricular, compondo aspectos considerados centrais na elaboração do projeto político pedagógico da escola. A partir de tais manifestações, que compuseram parte do diagnóstico das concepções e práticas das professoras, foram definidas as diretrizes gerais de reorganização curricular e os desdobramentos para o ensino, com ênfase nas concepções e diretrizes delas decorrentes. No capítulo cinco são abordados os eixos básicos e princípios metodológicos para os componentes curriculares construídos pelas professoras ao longo da pesquisa – material relatado e analisado pelas mesmas autoras: Luciana Maria Giovanni, Maria Regina Guarnieri e Alda Junqueira Marin.
O projeto previa implantar mudanças buscando superar dificuldades e resolver problemas selecionados como prioridades pelas professoras, oriundos de lacunas de formação, mas também, das perdas de balizas para o trabalho, surgidas com as ações de implantação de ciclos. Os capítulos seis e sete tratam dessas mudanças. No capítulo seis Maria Regina Guarnieri, Luciana Maria Giovanni e Ana Lucia Ayelo relatam mudanças na atuação docente destacando a elaboração de diários como uma modalidade de registro dos professores sobre sua própria prática, representando oportunidade de indagação e reflexão necessária para a aprendizagem da profissão docente, ao possibilitar análise e observação do próprio perfil profissional e do universo de trabalho a partir do que flagram as professoras na elaboração de seus registros. Já o sétimo e último capítulo dessa segunda parte do livro, se volta para a análise das alterações na atuação dos docentes-pesquisadores e alunos estagiários da equipe da universidade. Maria Helena Galvão Frem Dias da Silva, Luciana Maria Giovanni, Maria Regina Guarnieri e Alda Junqueira Marin analisam as consequências e mudanças que essa modalidade de pesquisa traz para a atuação dos formadores e para a formação dos futuros professores nos cursos de graduação (licenciaturas) e na pós-graduação.
Ao encerrar o relatório de pesquisa elaborado em 2000, a equipe de pesquisadores afirmava que aquele era "um final" – de um projeto com prazo definido – mas que daria a partida para "outros começos". Este livro é o resultado desses começos, pois representa a continuação da sistematização dos dados gerados naqueles encontros semanais com as vinte professoras que atuavam naquela escola de periferia, naquele período conturbado da rede pública estadual de São Paulo, um período que incluiu, ao mesmo tempo: implantação da separação das escolas de 1ª a 4ª e de 5ª a 8ª séries em prédios separados, criação das salas-ambiente, implantação dos ciclos de formação com regime de progressão continuada, organização da recuperação de alunos nos períodos de férias, entre tantos outros atos oficiais. Nesse cenário, no interior do projeto de pesquisa então em andamento, tudo era motivo para debate e análise, além das ações programadas pelo próprio projeto para atender as prioridades de formação elencadas pelas próprias professoras.
É desejo das autoras que todos possam se beneficiar das reflexões aqui apresentadas e, para isso, convidam os leitores para o desafio sempre produtivo da reflexão sobre os dados da pesquisa. Consideramos que o conteúdo desta publicação permanece atual, em alguns casos agravados.
Finalmente, ficam aqui registrados os agradecimentos a todos os envolvidos, em particular, mais uma vez, ao CNPq pelas bolsas concedidas e à Fapesp pelo apoio com recursos financeiros de pesquisa para a equipe, para as escolas e bolsas para as professoras no Programa sobre Melhoria do Ensino Público do Estado de São Paulo.
Vale registrar que ficamos devendo neste momento – quem sabe para breve – a divulgação da produção dos professores do ensino fundamental, que também elaboraram interessantes reflexões sobre suas realidades.

As Organizadoras
Outono de 2009

PesquisaEscolarizacao

Mais Visualizações

Detalhes

SUMÁRIO

  • APRESENTAÇÃO
  • PARTE I – SOBRE O PROCESSO DA PESQUISA: SUAS CARACTERÍSTICAS, POTENCIAL E CRÍTICAS O papel dos professores e dos pesquisadores: um desafio no processo de pesquisa colaborativa
  • Pesquisando com professores em duas modalidades de pesquisa colaborativa Luciana Maria Giovanni
  • O potencial didático-formador das situações geradas pela pesquisa colaborativa no interior da escola Alda Junqueira Marin ; Maria Regina Guarnieri
  • A estratégia do "coaching" na pesquisa e na formação de professores Luciana Maria Giovanni
  • Estratégias formativas geradoras de dados para pesquisa Maria Regina Guarnieri
  • Alguns pressupostos, procedimentos, resultados, obstáculos e dilemas da pesquisa com professores  Dirce Charara Monteiro
  • PARTE II - RESULTADOS E CONSEQUÊNCIAS DA PESQUISA E DE SEU USO PARA PROFESSORES E PESQUISADORES Significado das séries escolares e a implementação de ciclos na escola fundamental Alda Junqueira Marin
  • Manifestações de professoras sobre condições para o sucesso escolar Alda Junqueira Marin ; Luciana Maria Giovanni; Maria das Mercês Ferreira Sampaio; Maria Regina Guarnieri
  • A vergonha e o medo: facetas da conduta e do aprendizado social de professoras Alda Junqueira Marin; Maria Iolanda Monteiro
  • Manifestações de professoras primárias sobre elementos pedagógicos da organização escolar visando reorganização do currículo Alda Junqueira Marin
  • Diretrizes gerais de reorganização curricular e seus desdobramentos para o ensino na perspectiva de professoras primárias  Alda Junqueira Marin; Luciana Maria Giovanni; Maria Regina Guarnieri
  • Identificando mudanças na atuação docente a partir da prática de elaboração de registros pelos professores Luciana Maria Giovanni; Maria Regina Guarnieri; Alda Junqueira Marin
  • Mudanças na profissionalidade de formadores a partir de pesquisas com professores e escolas Maria Regina Guarnieri; Luciana Maria Giovanni; Ana Lúcia Aiello
  • ORGANIZADORAS E AUTORAS Maria Helena Galvão Frem Dias-da-Silva; Luciana Maria Giovanni; Maria Regina Guarnieri; Alda Junqueira Marin

Informações Adicionais

Autor (es) / Organizador (es) Alda Junqueira Marin; Luciana Maria Giovanni & Maria Regina Guarnieri - orgs.
Editora (s) Junqueira&Marin Editores
ISBN 978-85-86305-79-5
Área (s) / Assunto (s) Formação de Professores / Pesquisa em Escolas / Política Educacional / Organização do Ensino / Currículo / Pesquisa Colaborativa
Edição / Ano 1ª / 2009
Nº de Páginas 268
Acabamento / Formato brochura - costurado e colado / 14cm x 21cm

Tags do Produto

Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.