Bem Vindo!

PROFESSORES E INFÂNCIAS - estudos e experiências

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$41,00
OU

Descrição Rápida

Célia Maria Guimarães & Pedro Guilherme Rocha dos Reis - orgs.


O tema central do presente livro versa sobre as formas de mediação e atuação de professores nas instituições/escolas da infância. A questão norteadora é a constituição do trabalho pedagógico identificado com as características infantis e com a profissionalização docente.
Fruto de um empreendimento pensado e elaborado a muitas mãos e muitos olhares, trazendo percursos e caminhadas, fazendo descobertas e propondo trilhas, o livro trata de temas diversos: formação continuada, conflitos entre crianças, educação em valores, sentidos e significados da infância, tecnologias de informação e comunicação, jogo como atividade principal da infância, a arte como recurso pedagógico, pensamento algébrico, blocos lógicos, infância e subjetividade, infância contemporânea e espaço e tempo. Os vários artigos apontam preocupações referentes não somente ao conhecimento científico, mas também ao que é revelado por meio da prática cotidiana, sem deixar de focar a dimensão técnica do trabalho com a criança e com a formação do profissional que cuida e educa a criança de 0 a 10 anos de idade. 


Esta edição recebeu apoio da UNESP – Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" – Faculdade de Ciências e Tecnologia – Campus de Presidente Prudente por meio da FUNDACTE – Fundação de Ciência, Tecnologia e Ensino.


 




 


PREFÁCIO

Satisfação! Foi o sentimento entremeado com muito orgulho que aceitei o convite de escrever o prefácio deste livro dirigido à Educação da Infância, e que nesse momento chega às mãos do leitor. Primeiramente por se tratar de uma publicação organizada por pesquisadores e profissionais da educação – Célia Maria Guimarães e Pedro Guilherme Rocha Reis - que admiro muito, e que há tempos desenvolvem estudos na área. Outro motivo que merece apreço é por conter na coletânea descrições e discussões sobre experiências de educação em dois países – Brasil e Portugal – por meio de textos originários da teoria, que buscam a prática e se voltam à teoria e textos originários da prática, que buscam a teoria e se voltam à prática nos mais diversos campos que interessam a todos aqueles que partilham o trabalho com a infância.
O tema central do livro Professores e infâncias - estudos e experiências - versa sobre as formas de mediação e atuação de professores nas instituições/escolas da infância. A questão norteadora é a constituição do trabalho pedagógico identificado com as características infantis e com a profissionalização docente.
Fruto de um empreendimento pensado e elaborado a muitas mãos e muitos olhares, trazendo percursos e caminhadas, fazendo descobertas e propondo trilhas, o livro trata de temas diversos: formação continuada, conflitos entre crianças, educação em valores, sentidos e significados da infância, tecnologias de informação e comunicação, jogo como atividade principal da infância, a arte como recurso pedagógico, pensamento algébrico, blocos lógicos, infância e subjetividade, infância contemporânea e espaço e tempo. Os vários artigos apontam preocupações referentes não somente ao conhecimento científico, mas também ao que é revelado por meio da prática cotidiana, sem deixar de focar a dimensão técnica do trabalho com a criança e com a formação do profissional que cuida e educa a criança de 0 a 10 anos de idade. 
Nesse contexto, temos uma abordagem referente à formação continuada na educação infantil, suas bases teóricas e implicações educacionais. São tecidas considerações às concepções dos professores acerca das crianças e seu aprendizado e apresentados dispositivos e formas de integração de experiências profissionais, constituídas de saberes plurais, e situações de aprendizagens diversas, com novos e diversificados conteúdos e estratégias de formação. Sobre o cotidiano da escola são analisados os conflitos entre as crianças e indicados os esforços empregados pelos educadores para enfrentá-los. É abordada a construção das estratégias de negociação em situações de conflitos. Nesta mesma perspectiva, segue o texto que descreve práticas bem sucedidas de educação em valores. É destacado que a escola é, sim, um dos principais espaços sociais para a educação em valores e apresentadas estratégias que se coadunam com a construção de indivíduos autônomos. São elencados procedimentos educativos democráticos que envolvem situações de problematização em pequenos grupos, mediatizadas pelo diálogo e pelo respeito à diversidade. 
Outros olhares, outras reflexões se entrecruzam e ampliam nosso conhecimento no trabalho com a infância. Assim, autores refletem sobre os sentidos e significados da infância no contexto da educação escolar, discutindo a problemática da construção social da modernidade e suas implicações para a construção social da infância, da educação escolar e da profissionalidade docente. Para tanto, utilizam as narrativas da infância que permitem elucidar sentidos e significados implicados na reinstitucionalização e no governo da infância em contexto escolar, na atualidade. 
O artigo sobre a importância de pensar espaços e tempos de leitura discute a organização das salas em cantos temáticos e pontua procedimentos de leitura significativa para trabalhar com crianças. As reflexões realizadas são pertinentes para elucidar um dos dilemas da área: como estruturar os espaços e os tempos dedicados à aprendizagem na infância?
Em outro trabalho, pensadores apresentam o impacto positivo do programa kidsmart na integração das tecnologias de informação e comunicação num jardim-de-infância da grande Lisboa, apontando a contribuição significativa na organização do trabalho com as crianças, bem como descrevem conquistas de competências colaborativas entre as crianças, o envolvimento das famílias, da comunidade e, sobretudo, o avanço no desenvolvimento profissional da educadora.
Neste percurso de acompanhar as reflexões dos autores, nos defrontamos com a rica discussão de que o jogo é a atividade principal da criança pré-escolar, ou seja, é o mediador por excelência das principais transformações que definem o desenvolvimento histórico dos sujeitos e a formação das funções psíquicas superiores. Neste contexto, são destacadas as implicações do jogo de papéis para a constituição do trabalho pedagógico e indicadas possibilidades para pensar o currículo e a educação da criança pequena. Mudando o foco do objeto do conhecimento, nos deparamos com reflexões originárias de uma dimensão artística com enfoque nas obras de arte, nos revelando suas potencialidades como instrumento pedagógico em contexto de sala de aula. Pensando ainda em estratégias de aprendizagem por meio de elementos significativos que permitam que a criança se aproprie do objeto do conhecimento ou capacidades cognitivas, temos por um lado, a profícua utilização dos blocos lógicos com o estabelecimento de critérios para realização de tarefas para desenvolver capacidade de manipulação e de exploração das suas propriedades e da compreensão de sequências repetitivas, e por outro lado, a aquisição da capacidade de generalização na resolução de tarefas, tendo como centro o pensamento algébrico independentemente de situações de aprendizagens programadas.
Finalmente, temos dois artigos, um primeiro referente a leituras de infância e subjetividade na modernidade, demonstrando a dificuldade da infância moderna se legitimar no contexto do pensamento pós-metafísico, apontando a partir deste paradigma, um horizonte bastante profícuo para pensar a infância e a subjetividade. Como em espiral, segue o outro texto, apresentando a infância como uma construção social, cultural e histórica, expondo o campo discursivo da infância do qual emerge a ‘quimera infantil’ contemporânea. 
Enfim, o livro aborda faces que são relevantes para quem se encontra imerso no cotidiano da instituição de educação que cuida e educa a criança, tentando aprender com as experiências acumuladas e, paralelamente, buscando fazer diferente. É um (dentre vários) dos nossos maiores desafios: apropriarmos-nos da imensa produção acumulada nas mais diversas áreas do conhecimento e não negligenciar de procurar caminhos e soluções que se apresentam sistematizados na produção já construída ou criar, descobrir frestas e produzir novas alternativas. Essencial nesse processo de busca, de aprimoramento, ter sempre presente a reflexão crítica sobre a prática, exigência para evitar práticas desconectadas da teoria ou vice-versa, fugindo, portanto, do ativismo. 
A rigor, adquirir uma posição crítica frente às teorias e às construções e descobertas que emergem da prática, se torna condição necessária para a manutenção do diálogo entre teoria e prática. 
Acreditamos que o livro de Célia Maria Guimarães e Pedro Guilherme Rocha Reis oferece, aos envolvidos com infância, aspectos relevantes para se refletir sobre a área da educação da infância. Afirmamos isso por encontrar nos escritos que compõe a coletânea, a busca da teoria, o comprometimento com a prática, a importância da técnica, o comparecimento da crítica, bem como o esforço mobilizado, de tantos personagens, de tantas iniciativas, encontros e possibilidades. Transparece na leitura dos textos o esforço conjunto em propiciar densidade das questões teóricas devidamente fundamentadas e explicitar o rigor na definição dos métodos de tratamento do material empírico. 
Nesse sentido, o conjunto de excertos seletos de vários estudos e experiências trazem uma considerável sucessão de idéias, sensações, teorias que provocam análises e reflexões, que indubitavelmente incitam e se desdobram em novas averiguações. Ao apontarem para as possibilidades que se abrem nas análises da formação continuada, nas formas de mediação, nas condições e nos modos de participação do outro na construção do conhecimento, os textos sem exceção se apresentam como um fértil espaço de inspiração para professores e pesquisadores. Compreendido dessa maneira, o livro contribui ainda para a formação desses profissionais e pode servir de referência para ações de sistematização e resignificação coletiva do conhecimento. Boa leitura!

Gilza Maria Zauhy Garms
Profa. Doutora do Depto. de Educação e do Programa de Pós-Graduação da FCT-Unesp
Linha de Pesquisa: Infância e Educação
Presidente Prudente, 11 de abril de 2011



capa

Mais Visualizações

Detalhes

SUMÁRIO

 

  • PREFÁCIO Gilza Maria Zauhy Garms
  • FORMAÇÃO CONTINUADA EM EDUCAÇÃO INFANTIL: A CONSTRUÇÃO DE UMA AGENDA DE POSSIBILIDADES Zilma de Moraes Ramos De Oliveira; Marisa Vasconcelos Ferreira e Joseane Aparecida Bomfim De Barros
  • COMPREENDENDO E INTERVINDO NOS CONFLITOS ENTRE AS CRIANÇAS Telma Pileggi Vinha e Lívia Maria Silva Licciardi
  • PRÁTICAS BEM SUCEDIDAS DE EDUCAÇÃO EM VALORES: EXEMPLOS EM ESCOLAS PÚBLICAS BRASILEIRAS Maria Suzana de Stefano Menin; Juliana Aparecida Matias Zechi; Alana Paula De Oliveira  e  Claudiele Carla Marques Da Silva
  • A INFÂNCIA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR: SENTIDOS E SIGNIFICADOS DE TRANSFORMAÇÕES INCERTAS Maria de Fátima Carneiro Ribeiro Pereira e  Maria Amélia Da Costa Lopes
  • O IMPACTO DO PROGRAMA KIDSMART NA INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NUM JARDIM-DE-INFÂNCIA DA GRANDE LISBOA Madalena Alves e Pedro Guilherme Rocha Dos Reis
  • O JOGO COMO ATIVIDADE PRINCIPAL DA CRIANÇA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL À PEDAGOGIA DA INFÂNCIA E AO TRABALHO DO PROFESSOR Edilson Azevedo da Silva; Gilza Maria Zauhy Garms e Célia Maria Guimarães
  • A OBRA DE ARTE COMO INSTRUMENTO PEDAGÓGICO – UMA ABORDAGEM PRÁTICA EM SALA DE AULA Marta Andreia de Sousa Jacinto Uva
  • A UTILIZAÇÃO DOS BLOCOS LÓGICOS NO JARDIM DE INFÂNCIA: UMA EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO INICIAL DE EDUCADORES Cláudia Susana Santos Honório; Claudia Filipa Martins Soares; Neusa Cristina Vicente Branco e Susana Isabel Gueifão Colaço
  • O PENSAMENTO ALGÉBRICO E A CAPACIDADE DE GENERALIZAÇÃO DE ALUNOS DO 3.º ANO DE ESCOLARIDADE DO ENSINO BÁSICO Célia Maria Martins Vitorino Mestre e Hélia Margarida Pintão De Oliveira 
  • LEITURAS DE INFÂNCIA E SUBJETIVIDADE: DESAFIOS À PROFISSIONALIZAÇÃO DO PROFESSOR DE CRIANÇAS NO CONTEXTO DO PENSAMENTO PÓS-METAFÍSICO Vilmar Alves Pereira 
  • INFÂNCIA CONTEMPORÂNEA: ENTRE O CAMPO DISCURSIVO E A QUIMERA INFANTIL Dora Lilia Marín-Díaz

 

Informações Adicionais

Autor (es) / Organizador (es) Célia Maria Guimarães & Pedro Guilherme Rocha dos Reis - orgs.
Editora (s) Junqueira&Marin Editores
ISBN 978-85-86305-94-8
Área (s) / Assunto (s) Educação infantil, Formação de educadores, Pesquisas nacionais e internacionais, Arte e infância, Metodologias variadas para educação infantil, Pesquisas com crianças.
Edição / Ano 1ª / 2011
Nº de Páginas 272
Acabamento / Formato brochura - costurado e colado / 14cm x 21cm

Tags do Produto

Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.