Bem Vindo!

TEORIA CRÍTICA DA SOCIEDADE E PSICOLOGIA: alguns ensaios

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$39,00
OU

Descrição Rápida

José Leon Crochík


A Psicologia e, em particular, a Psicanálise foram disciplinas importantes para os pensadores da denominada Teoria Crítica da Sociedade, entre eles, Theodor W. Adorno, Max Horkheimer, Herbert Marcuse e Walter Benjamin. Essas disciplinas têm conceitos que permitem o entendimento da irracionalidade das atitudes e das ações individuais, ilustradas pela frieza diante da tortura e do assassinato em nome da pátria e pela defesa do fascismo; tais atitudes auxiliaram a manutenção de sistemas sociais de caráter totalitário surgidos no século XX, devido a fatores objetivos. A formação do indivíduo quer no que diz respeito a seus comportamentos economicamente racionais, quer aos propriamente psicológicos, não é, para esses autores, independente da constituição da sociedade. Dessa forma, questões políticas, econômicas, éticas são importantes para se refletir sobre essa formação. Os ensaios que constituem esta coletânea foram elaborados por meio do campo de forças formado por tais questões; publicados originalmente em revistas acadêmicas, têm como referência a Teoria Crítica da Sociedade e como tema o indivíduo e sua formação; não têm a intenção de reproduzir os conceitos elaborados e as análises efetuadas por esses autores, o que tenderia ao dogmatismo, mas, a partir desses conceitos e dessas análises, continuar a descrever, em sua dinâmica, o movimento histórico da sociedade e de seus produtos, entre eles, o indivíduo. 


Esta edição recebeu apoio do CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.


 


 






 


Apresentação: 

Este livro reúne diversos artigos que redigi, publicados em revistas científicas da área de ciências humanas desde 1998. Neles se encontram reflexões acerca de temas da psicologia, e mais propriamente da psicologia social, na perspectiva dos autores da Teoria Crítica da Sociedade. As obras principalmente de T.W. Adorno, mas também as de M. Horkheimer, W. Benjamin e H. Marcuse, constituem o esteio teórico do que foi desenvolvido. 
Os artigos trazem temáticas diversas e relacionadas. O primeiro e o último texto - A FORMA SEM CONTEÚDO E O SUJEITO SEM SUBJETIVIDADE e A RESISTÊNCIA E O CONFORMISMO DA MÔNADA PSICOLÓGICA contêm discussões acerca da formação do indivíduo em nossa cultura; o segundo, terceiro e quarto - T. W. ADORNO E A PSICOLOGIA SOCIAL, NOTAS SOBRE A FORMAÇÃO ÉTICA E POLÍTICA DO PSICÓLOGO e OS DESAFIOS ATUAIS DO ESTUDO DA SUBJETIVIDADE NA PSICOLOGIA se referem quer à formação do psicólogo, quer sobre o estudo de seu objeto: o indivíduo. Os dois seguintes - O DESENCANTO SEDUTOR: A IDEOLOGIA DA RACIONALIDADE TECNOLÓGICA e RAZÃO, CONSCIÊNCIA E IDEOLOGIA: ALGUMAS NOTAS tratam sobretudo do conceito de ideologia e sua relação com necessidades psíquicas. O artigo sobre o narcisismo - se direciona, principalmente, ao desenvolvimento do conceito do narcisismo por Freud, com questões que preocupam os frankfurtianos e o oitavo artigo analisa a distinção corpo-psique. Foi inevitável repetir certos conceitos e análises e mesmo apresentar algumas vezes as mesmas citações; tomou-se o cuidado, contudo, para que dessas repetições novos significados fossem desenvolvidos. Não fiz nenhuma alteração substancial em nenhum dos textos; não resisti, no entanto, a fazer pequenas alterações para melhorar a precisão da redação.
Como são ensaios e contêm pensamentos não-assegurados, há umas tantas afirmações e relações que foram enunciadas, que devem suscitar a busca de dados empíricos para ser mais bem estabelecidas. Dessa forma, os textos não trazem pontos finais aos temas desenvolvidos, mas pretendem ser um conjunto de parágrafos que iluminem os pequenos trechos percorridos.



=======================================
ERRATA
=======================================
- p. 9, primeiro parágrafo, 6 linha: 
onde se lê: "As obras principalmente de T.W. Adorno, mas também as de M. Horkheimer, W. Benjamin e H. Marcuse constituem o esteio teórico do que foi desenvolvido.", 
leia-se: "As obras principalmente de T.W. Adorno, mas também as de M. Horkheimer, W. Benjamin e H. Marcuse, constituem o esteio teórico do que foi desenvolvido."
- p.40, prim. par. 5 linha: 
onde se lê "A noção de tipos delineados no estudo acerca da personalidade autoritária (Adorno, Frenkel-Brunswik, Levinson, & Sanford, 1950/1965) refere-se a categorias sociopsicológicas, constituídos também pelos seus conhecimentos sobre a psicanálise." ,
leia-se: "A noção de tipos delineados no estudo acerca da personalidade autoritária (Adorno, Frenkel-Brunswik, Levinson, & Sanford, 1950/1965) refere-se a categorias sociopsicológicas, constituídas também pelos seus conhecimentos sobre a psicanálise.". 
- p.44, prim. par. quinta linha 
onde se lê: "Disso se depreende a importância da formação do indivíduo, e não é causal ter se voltado à...", 
leia-se "Disso se depreende a importância da formação do indivíduo, e não é casual ter se voltado à..."
- p.46, antepenúltima linha substituir "antssemitismo" por "antissemitismo"
- p.51, prim. par. sétima linha: substituir "a – burguesia -," por "- a burguesia-"
- p.56, primeira linha:
onde se lê: "...Adorno (1955/2004) admite problemas na expressão psicologia social, mas pergunta, se frente a esse novo objeto, ela não faria sentido:"
leia-se: "...Adorno (1955/2004) admite problemas na expressão psicologia social, mas pergunta se frente a esse novo objeto ela não faria sentido:"
- p.81, prim. par., antepenúltima linha:
onde se lê: "... mais prementes, e sim, pelos interesses do capital..."
leia-se: "... mais prementes, e sim pelos interesses do capital..." 
- p.87, primeiro par. 4 linha: 
onde se lê: "Que os ideais coletivos de um Estado racional ou de uma sociedade que tenha os seus conflitos regulados por uma legislação universal à qual os homens devem se submeter pela sua autonomia da razão, possam deter..." 
leia-se: "Que os ideais coletivos de um Estado racional, ou de uma sociedade que tenha os seus conflitos regulados por uma legislação universal à qual os homens devem se submeter pela sua autonomia da razão, possam deter..." 
- p.91, prim. par., 16 linha:
onde se lê: "Quanto mais afastadas as esferas política e econômica estão dos indivíduos: mais o cinismo e a frieza são necessários para a autoconservação individual.", 
por: "Quanto mais afastadas as esferas política e econômica estão dos indivíduos, mais o cinismo e a frieza são necessários para a autoconservação individual.". 
- p.92, prim. par., nona linha: substituir "auto conservação" por "autoconservação"
-p. 107, prim. par.,, quinta linha:
onde se lê: "...significa que ele seja afetado externamente pela sociedade, mas sim que se constitui por ela..."
leia-se: "...significa que ele seja afetado externamente pela sociedade, mas sim que se constitui por ela..."
- p.200, prim. par., seg. linha:
onde se lê: "Como Laplanche e Pontalis (1967) indicam, Freud não distinguia entre ego-ideal e ideal do ego embora essa instância seja formada pela influência dos pais, dos educadores, sobre a criança, ainda guarda algo do narcisismo infantil, que é satisfeito quando o ego faz algo que coincide com o ideal."
leia-se :"Como Laplanche e Pontalis (1967) indicam, Freud não distinguia entre ego-ideal e ideal do ego e, assim, embora essa instância seja formada pela influência dos pais, dos educadores, sobre a criança, ainda guarda algo do narcisismo infantil, que é satisfeito quando o ego faz algo que coincide com o ideal."
- p.202, prim. par., set linha: 
onde se lê: "O narcisista, contudo, não é necessariamente desprovido de ideal e, como visto antes, esse é também mediado pelo narcisismo, assim, como, então, se podemos distinguir o indivíduo não narcisista daquele que o é?" 
leia-se: " O narcisista, contudo, não é necessariamente desprovido de ideal e, como visto antes, esse é também mediado pelo narcisismo, assim, como então se pode distinguir o indivíduo não narcisista daquele que o é?."
- p.206, 21 linha: substiutir ‘E 5" por "e 5".
- p.219, último período antes da citação: 
onde se lê: "Mais do que isso, se devemos lembrar o que diz Adorno (1955) que todos mecanismos de defesa têm uma marca narcisista:" 
leia-se: "Mais do que isso, deve-se lembrar o que diz Adorno (1955) sobre todos mecanismos de defesa terem uma marca narcisista:"
- p.230, prim. ar., 5 linha:
onde se lê: "...deveria implicar a superioridade da segunda sobre a primeira, e sim, a possibilidade da..."
leia-se: "...deveria implicar a superioridade da segunda sobre a primeira, e sim a possibilidade da..."
- p.232, oitava linha:
onde se lê: "...liberdade não deve ser destruída, e sim, superada nessa contradição..."
leia-se: "...liberdade não deve ser destruída, e sim superada nessa contradição..."
p.253, prim. par. , 5 linha: 
onde se lê: "Os comportamentos desenvolvidos pelos indivíduos têm na sua origem e manutenção, essa ameaça e o conseqüente medo." 
leia-se: "Os comportamentos desenvolvidos pelos indivíduos têm na sua origem e manutenção essa ameaça e o consequente medo."
-p.269, seg. par., set. linha:
onde se lê:" Evidenciar as alterações dos objetos nos quais as pulsões se fixam e o movimento dessas, assim como nomear os traços componentes do que denominamos de caráter como cicatrizes dos sofrimentos e as renúncias que temos de efetuar sem que sejam necessárias, permitem dar voz ao que se calou para evitar a ameaça ainda imperante: a de ser destruído."
leia-se: "Evidenciar as alterações dos objetos nos quais as pulsões se fixam e o movimento dessas, assim como nomear os traços componentes do que denominamos de caráter, como cicatrizes dos sofrimentos, e as renúncias que temos de efetuar sem que sejam necessárias, permite dar voz ao que se calou para evitar a ameaça ainda imperante: a de ser destruído."




 

capa

Mais Visualizações

Detalhes

SUMÁRIO

  • APRESENTAÇÃO 
  • 1 - A FORMA SEM CONTEÚDO E O SUJEITO SEM SUBJETIVIDADE 
  • 2 - T. W. ADORNO E A PSICOLOGIA SOCIAL 
  • 3 - NOTAS SOBRE A FORMAÇÃO ÉTICA E POLÍTICA DO PSICÓLOGO 
  • 4 - OS DESAFIOS ATUAIS DO ESTUDO DA SUBJETIVIDADE NA PSICOLOGIA 
  • 5 - O DESENCANTO SEDUTOR: A IDEOLOGIA DA RACIONALIDADE TECNOLÓGICA 
  • 6 - RAZÃO, CONSCIÊNCIA E IDEOLOGIA: ALGUMAS NOTAS 
  • 7 - APONTAMENTOS SOBRE O NARCISISMO DA PERSPECTIVA DA TEORIA CRÍTICA DA SOCIEDADE 
  • 8 - NOTAS SOBRE A DICOTOMIA CORPO-PSIQUE 
  • 9 - A RESISTÊNCIA E O CONFORMISMO DA MÔNADA PSICOLÓGICA 
  • NOTAS 
  • NOTAS SOBRE OS TEXTOS 


Informações Adicionais

Autor (es) / Organizador (es) José Leon Crochík
Editora (s) Junqueira&Marin Editores
ISBN 978-85-86305-88-7
Área (s) / Assunto (s) Filosofia da Educação; Psicologia da Educação; Formação Humana; Estudos sobre Psicologia e Formação.
Edição / Ano 1ª / 2011
Nº de Páginas 288
Acabamento / Formato brochura - costurado e colado / 14cm x 21cm

Tags do Produto

Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.